logo Negócios SC
Simule sua Campanha
Tecnologia

Os aplicativos mais baixados durante a quarentena no Brasil e no mundo

16/06/2020

Atravessamos um momento de transformações ainda mais rápidas no comportamento do consumidor e do próprio convívio social. Isso exige um planejamento ágil das marcas, muito mais do que estavam acostumadas.

Por sorte, nunca tivemos tantas ferramentas para nos ajudar a entender o público como agora. Inclusive, você sabia que é possível chegar a algumas conclusões interessantes a partir da análise dos aplicativos mais baixados durante a quarentena?

É justamente isso que abordaremos a seguir. Acompanhe.

Segmentos em alta no mercado de apps

O uso de aplicativos é cada vez mais presente em nossas vidas. No primeiro trimestre de 2020, segundo a App Annie, o tempo semanal médio passado neles já havia aumentado 20% com relação ao ano anterior, mesmo antes das medidas de distanciamento social e a tendência de encasulamento tornarem-se globais.

A pandemia de Covid-19 acelerou esse processo de um modo geral, pois obrigou o mundo a procurar soluções virtuais para trabalho, educação, lazer e tantas esferas do dia a dia. Mas também trouxe algumas dinâmicas próprias, revelando os maiores interesses e desafios dos consumidores neste momento.

Um relatório da AppsFlyer mostra os impactos do novo coronavírus no mercado de apps. Entre os segmentos de aplicativos mais baixados durante a quarentena, estão:

  • Entrega de comida: aumento de 135%
  • Social: aumento de 105%
  • Transmissão de áudio/vídeo: aumento de 85%
  • Educação: aumento de 80%
  • Saúde e exercícios: aumento de 75%

A alimentação, claro, é uma necessidade básica do ser humano, por isso destacamos a importância dos serviços de entrega para conectar as empresas do setor ao público.

Observe também que a conexão entre as pessoas é quase tão necessária, sendo acompanhada de perto pelo lazer. Diante disso, as marcas que desejam ter uma comunicação relevante durante a pandemia precisam pensar também em como conectar as pessoas e levar entretenimento até elas.

Logo abaixo, vemos a tendência de trazer para casa as atividades que se costumava fazer fora dela, como estudar e praticar exercícios. Mas se analisarmos os aplicativos mais baixados de educação ou de saúde e fitness, veremos aí uma diversidade de microtendências.

Por exemplo, entre os apps educativos, temos desde o Google Sala de Aula no topo dos downloads, que serve como alternativa emergencial para o ensino à distância na falta de uma plataforma própria, até aplicativos que ensinam música e novos idiomas. Olhar para que tipo de aplicativos seu público-alvo está baixando agora pode lhe dar um entendimento mais profundo de quem ele é e de como sua empresa pode ajudá-lo.

Leia também: Estratégias para serviços digitais venderem mais na pandemia

O uso de aplicativos pode dizer muito sobre o consumidor neste momento. (Foto via Freepik)

O comportamento dos brasileiros

O relatório da AppsFlyer ainda traz alguns dados sobre o comportamento do consumidor digital no Brasil.

No País, o faturamento de aplicativos de compras aumentou acima dos 50% no decorrer do distanciamento social. Levar as vendas para a internet, portanto, é a estratégia mais inteligente a se adotar neste momento.

O uso das redes sociais também cresceu no período (95%), assim como o de serviços de entrega de comida (85%) e apps de instituições bancárias (30%).

Falando especificamente dos aplicativos mais baixados no Brasil durante a quarentena, a SensorTower destaca o ZOOM Cloud Meetings (de reuniões virtuais) e o TikTok (rede de compartilhamento de vídeos curtos) na primeira e segunda posições.

Leia também: 10 superdicas de como atrair clientes para baixar seu aplicativo

Aplicativos mais baixados no mundo

Todos os meses, a SensorTower divulga uma lista com os aplicativos mais baixados em geral, na App Store da Apple e na Play Store do Google. Para acompanhar quais têm sido as prioridades do público em cada mês da pandemia, você pode consultar os arquivos de março e abril, mas aqui focaremos no de maio de 2020.

Apps mais baixados em maio por geral, App Store e Play Store. (Fonte: SensorTower)

Podemos ver aí duas grandes tendências que dominaram o meio virtual. De um lado temos diferentes mídias, redes sociais e aplicativos de mensagens (TikTok, WhatsApp, Instagram, YouTube, Snapchat, Facebook e Messenger) que servem como conexão entre as pessoas, fonte de entretenimento e criação de status virtual.

De outro, temos diversas ferramentas para ajudar na aceleração da tendência do trabalho remoto (ZOOM, Google Meet, Microsoft Teams, Gmail e SHAREit). O ponto fora da curva é Aarogya Setu, um aplicativo do Governo da Índia para conectar serviços de saúde à população no combate ao novo coronavírus. Se adotado por outros países, pode surgir aí uma nova tendência global nas aplicações móveis.

Disso tiramos mais duas conclusões: sua empresa necessita de uma boa estratégia de comunicação para as redes sociais e, se tiver soluções para o trabalho remoto ou puder adequar sua proposta de valor a esse contexto, pode vender muito mais.

Descubra mais mudanças de comportamento do consumidor — e como responder a elas — com o e-book Marketing nos tempos de coronavírus. Nele você encontrará respostas práticas para seu negócio reagir à crise. Baixe agora.


Content Creator

Estúdio NSC Branded Content

Tenha uma marca inesquecível! Comece agora
Sucesso! Sua mensagem foi enviada.
Ops! Nós tivemos um problema mensagem não enviada.
Negócios SC NSC Comunicação linkedin facebook infograico