logo Negócios SC
Simule sua Campanha

voltar

Negócios SC

Negócios SC

Comunicação

Jornal é mídia de confiança para leitores de várias idades

03/03/2021

A mídia impressa é um dos meios de comunicação de massa mais antigos da humanidade. Mas essa história que começou em 1609, com o primeiro jornal impresso, na Alemanha, ainda tem muitos capítulos pela frente.

A seguir, confira opiniões e dados que mostram por que o jornal continua sendo relevante para o público — e a importância desse meio para a comunicação das marcas. Aproveite!

Qual é o futuro do jornal impresso?

Com a ascensão do digital, uma grande pergunta que paira sobre os meios de comunicação diz respeito ao futuro do jornal impresso.

Primeiramente, esse não é o fim dele. Pelo contrário, é um novo começo, uma repaginação.

Como opina o jornalista e consultor Eduardo Tessler ao Meio & Mensagem, o jornal deixou de ser um produto de massas para se tornar algo mais desejável.

— Poucas e boas páginas. Menos assuntos, mas mais profundos — explica Tessler.

Afinal, o comportamento do público mudou com o acesso às novas tecnologias. O imediatismo e as notícias urgentes estão a um toque, no celular. Mas aquele conteúdo mais elaborado, aquela diagramação bem trabalhada, aquela leitura prazerosa e aprofundada — em tudo isso a mídia impressa ainda é referência.

É nesse sentido que está sendo construído o futuro do jornal impresso e para o qual os veículos da NSC caminham. Os jornais DC, AN e Santa tornaram-se produtos premium nas mãos do leitor catarinense, tanto em qualidade de acabamento quanto de conteúdo.

— O impresso ganha nova vida, objetivo diferente, a possibilidade de agregar valor a um público muito especializado — complementa Tessler.

Mas essa não é a única razão para confiar na resiliência da mídia impressa. São os próprios leitores que veem no jornal um meio indispensável em nossa sociedade.

Leia também: Descubra o formato de jornal multiplataforma da NSC

Jornal impresso atrai leitores mais jovens no Brasil. (Foto via Freepik)

Jornal é mídia de confiança em notícias e informação

O Brasil tem um dos maiores índices de confiança em mídia impressa no mundo, de acordo com o estudo Trust in the Media, da Ipsos. Como revela a empresa global de pesquisas de mercado, 65% dos brasileiros confiam em jornais e revistas, à frente da média internacional de 47%, analisada entre 27 países de 5 continentes.

Outro indicador em que o Brasil se destaca está na avaliação da relevância da mídia impressa ao fornecer notícias e informações. Sete em cada dez brasileiros, ou 70%, entendem como relevantes os conteúdos de jornais e revistas, enquanto a média global fica em 54%.

A Kantar IBOPE Media, por meio do relatório Dimension, mostra também que os jornais são considerados o meio mais confiável para acessar notícias e informações. Isso é uma constante entre leitores das mais variadas idades, como a Kantar faz questão de destacar: “O Jornal é o meio mais confiável para compartilhamento de notícias em todas as faixas etárias, até mesmo entre aqueles de 18 a 34 anos”.

Ainda mais, em comparação com Argentina, China, França, Alemanha, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos, o Brasil é o país com maior confiança em impressos. E os veículos regionais, como DC, AN e Santa, ganham maior predileção do público. Uma pesquisa de YouGov apontou que os jornais locais são as fontes mais confiáveis para notícias e informações.

O jornalismo de qualidade da NSC, inclusive, faz parte de um seleto grupo de veículos do Brasil e da Alemanha que marcaram o início dos Destaques do Google, que oferece uma curadoria editorial de jornais premiados aos leitores.

A confiabilidade do veículo, vale ressaltar, tem um impacto direto na comunicação de marketing e nos resultados que ela pode trazer às empresas. Nesse sentido, a Kantar é categórica em seu relatório: “A confiança e seus efeitos positivos são importantes e uma responsabilidade para aqueles que protegem a reputação de uma marca”.

Leia também: Notícias da NSC estreiam em Destaques do Google

O perfil do leitor de jornal no Brasil

Como a Kantar destacou, a mídia impressa tem um alto nível de confiança entre os públicos mais jovens. E aí se esconde uma informação que pode surpreender alguns: o jornal atrai leitores de todas as idades, incluindo uma considerável parcela de pessoas abaixo de 34 anos.

Ou seja, o jornal impresso não tem nada de ultrapassado e continua se renovando também em termos de perfil do leitor.

Dados do Target Group Index, referentes a quase 2 milhões de leitores de jornal pelo Brasil, mostram como esse perfil é bem distribuído entre várias idades.

Faixa etária dos leitores de jornal:

  • 12 a 19 anos: 7%
  • 20 a 24 anos: 9%
  • 25 a 34 anos: 21%
  • 35 a 44 anos: 19%
  • 45 a 54 anos: 20%
  • 55 a 64 anos: 16%
  • 65 anos ou mais: 9%

Percebemos, então, um índice de 37% de leitores abaixo dos 35 anos, e um percentual constante entre os 25 e 54 anos.

Outra distribuição equilibrada se dá com relação ao gênero do público da mídia impressa. Tanto em nível nacional, segundo o Target Group Index, quanto em Santa Catarina, nos jornais da NSC, a distribuição é de 53% de leitores e 47% de leitoras.

Já a análise das classes econômicas nos permite entender melhor a busca por produtos mais sofisticados na mídia impressa. A maioria do público (65%) pertence às classes A e B, enquanto 32% estão na C e apenas 3% na D.

Resumindo, o jornal tem se reinventado para manter sua forte relação de confiança com o público, atendendo a um perfil de leitor com elevado poder aquisitivo que está em constante renovação.

Para conhecer agora as oportunidades de inserir sua marca nos jornais da NSC e fortalecer a imagem do seu negócio, baixe o mídia kit dos nossos impressos.


Negócios SC

Estúdio NSC Branded Content

Já ouviu o podcast Negócios SC? Conteúdo direto ao ponto com convidados super especiais Ouça aqui
Sucesso! Sua mensagem foi enviada.
Ops! Nós tivemos um problema mensagem não enviada.
Negócios SC NSC Comunicação linkedin facebook youtube infograico