logo Negócios SC
Simule sua Campanha

voltar

Negócios SC

Negócios SC

Marketing

Físico ou digital: qual é o melhor modelo de negócio?

03/05/2021

Muito antes da pandemia já falávamos sobre a importância dos canais digitais para as marcas. Então, no último ano, eles se tornaram uma questão de sobrevivência empresarial. Mas será que este é o único ou melhor modelo de negócio possível?

A verdade é que, quando tratamos da necessidade de se ter uma presença forte na internet, não é uma questão de escolher apenas entre o digital ou físico. É para que as empresas acelerem o passo na adoção digital e tenham um modelo omnichannel. Isto é, que sejam multicanais, on e off.

Como veremos a seguir, essa estratégia omnichannel deve abranger desde os canais de atendimento e vendas até a comunicação das marcas. Acompanhe.

Modelo de negócio físico ou digital?

Para entender por que a experiência off-line ainda é fundamental para a relação com o consumidor, basta ver o movimento que grandes empresas da internet estão seguindo. Mesmo as gigantes do comércio virtual, como a Amazon, estão implementando novos canais físicos de atendimento e vendas.

Um exemplo disso é o mercado Amazon Fresh, que estreou nos Estados Unidos no segundo semestre de 2020. Além de poder comprar na loja com o apoio de tecnologias que enriquecem a experiência, como um carrinho com sensores que dispensa passar os itens no caixa e a integração com a conta da Amazon, o cliente pode fazer as compras on-line e recebê-las em casa ou retirá-las na loja.

A Amazon chega assim a cerca de 90 estabelecimentos físicos próprios, além de outros 500 da rede de supermercados Whole Foods, focada em produtos naturais e orgânicos, comprada pela Amazon em 2017.

Esse sistema de “pickup store” visto na Amazon Fresh, ou loja para retirada de produtos, já é usado por grandes varejistas brasileiros. Entretanto, a pandemia trouxe a tendência de transformar a loja física em um ponto exclusivo de retirada das compras on-line. Nos Estados Unidos, redes como Starbucks e Kroger têm experimentado esse modelo de negócio.

Outra vantagem de unir os canais físicos e digitais da marca é que os pontos de venda dentro das cidades podem servir como minicentros de distribuição. Tal prática é chamada “ship from store”, ou envio a partir da loja, e reduz drasticamente o tempo de entrega das compras pela internet.

Ou também podemos abordar essa questão pela perspectiva do consumidor. De acordo com uma pesquisa realizada pela MindMiners e encomendada pela Globo, 75% dos brasileiros afirmam que têm o costume de usar as lojas físicas para conhecer e experimentar novos produtos. Então, mesmo que a finalização do pedido ocorra pelo e-commerce, por causa do menor preço ou alguma outra razão, o PDV físico ainda é essencial para a jornada de compra.

Mais ainda, ao buscar por um produto na internet, 41,3% dos consumidores dão preferência a uma loja na qual já compraram antes, segundo um estudo de Lett e Opinion Box. Portanto, a loja física é capaz de aumentar a confiança do público para comprar nos seus canais digitais — e conquistar a confiança do comprador on-line é um dos maiores desafios das marcas na internet.

Leia também: Novos dados sobre a intenção de compra no Sul do Brasil

A Amazon, gigante do comércio virtual, entende a importância das lojas físicas. (Divulgação Amazon)

Comunicação on-line ou off-line?

As grandes empresas da internet também dão uma valiosa lição sobre a comunicação das marcas. Assim como nos pontos de venda, a divulgação não deve ser apenas física ou digital, mas multicanal.

Segundo a Kantar IBOPE Media, por meio do relatório Inside Advertising, os negócios nativos digitais destinam uma parte considerável do investimento em mídia para os meios de comunicação em massa, especialmente a televisão. Os aplicativos de entrega, por exemplo, investem 47% do total de mídia na TV aberta. Já as fintechs destinam uma fatia ainda maior do investimento: 57% vão para a TV aberta.

Além da televisão, a rádio e o jornal oferecem um bom equilíbrio entre ampla visibilidade para a marca com credibilidade do meio. Por outro lado, por mais que o digital ofereça alcance para a comunicação do negócio, o público não tem a mesma confiança no meio. Isso reduz o impacto da mensagem.

Trazendo outro dado da pesquisa de MindMiners e Globo, 63% dos consumidores preferem comprar de marcas mais conhecidas. E os meios de comunicação em massa têm o importante papel de popularizar produtos, serviços e empresas.

— Sendo o consumidor multiconectado e multiplataforma, o planejamento publicitário também precisa ser transversal a todos os pontos de contato com ele — comenta a respeito Melissa Vogel, CEO da Kantar IBOPE Media.

Para saber como ter uma estratégia de comunicação on-line e off-line com a NSC, confira nosso e-book sobre Como otimizar seu funil de vendas. Nele apresentamos diversas soluções em mídias para você ter um marketing integrado e eficiente na hora de conquistar o público em Santa Catarina. Aproveite!


Negócios SC

Estúdio NSC Branded Content

Já ouviu o podcast Negócios SC? Conteúdo direto ao ponto com convidados super especiais Ouça aqui
Sucesso! Sua mensagem foi enviada.
Ops! Nós tivemos um problema mensagem não enviada.
Negócios SC NSC Comunicação linkedin facebook youtube infograico