logo Negócios SC
Acelere suas vendas
Marketing

O que fica e o que sai em 2019: profissionais apostam em tendências

05/12/2018

Gerentes de marketing e comunicação do Estado opinam sobre o que deve ser tendência e o que deve ser abandonado em termos de práticas de marketing para o próximo ano

Na quarta-feira (28/10), a Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing de Santa Catarina (ADVB/SC) realizou a entrega do Prêmio Top de Marketing e Vendas 2018, reconhecendo os cases de 18 empresas catarinenses que se destacaram no mercado durante este ano (confira aqui a lista completa dos ganhadores).

Receber um prêmio tão importante no Estado não é algo que vem sem muito esforço, dedicação e talento. Todas as empresas presentes demonstraram ter inventividade, criatividade e presença para se destacarem perante as demais e se posicionarem como referências em comunicação e marketing. Por trás de cada campanha premiada, estão profissionais experientes e com visão para entender as tendências do mercado.

Aqui, eles compartilham o que, na sua visão, acreditam que será tendência em marketing e comunicação no ano de 2019 e opinam sobre as práticas que não devem mais ser mantidas no próximo ano. Confira:

Roberto Vertemati – Diretor Comercial e Marketing Beto Carrero

O que deve ser tendência em 2019:

Branded content multi plataforma. Vejo que a geração de conteúdo relevante, envolvente, integrado através das diversas plataformas (digital, social, impressa, rádio, TV) vai conseguir cada vez mais atrair a atenção e consideração dos clientes. Mas é necessário que este conteúdo seja, de fato, verdadeiro, original e relevante.

O que deve ficar em 2018:

Telemarketing invasivo e spams. É péssimo receber ligações repetidas de pessoas querendo vender itens nos quais você não tem o menor interesse e nunca autorizou que te ligassem. Com os e-mails de spam é a mesma lógica. O tempo perdido filtrando e limpando estas mensagens indesejadas é muito grande. As empresas que ainda se utilizam dessas práticas deveriam rever seus modelos, pois estão se prejudicando perante seus clientes e possíveis clientes.

Monique Campos – Superintendente de Marketing Corporativo da Almeida Junior 

O que deve ser tendência em 2019:

Proporcionar experiência para o consumidor, fazer com que ele tenha momentos especiais e memoráveis com a marca. Isso precisa ser feito em todos os canais que conectam o cliente e a marca: no ponto físico, nas redes sociais, na web, no app. Outra tendência que já é uma realidade é o uso de tecnologias para melhorar essa experiência: realidade virtual, realidade aumentada, inteligência artificial, apps, chat bot.

O que deve ficar em 2018:

Comunicação sem direcionamento, falar com o público de uma maneira genérica. Isso não funciona mais. Cada vez mais é necessário segmentar a conversa de acordo com o perfil do público. Relacionamento sem propósito também não vai longe. Quem não souber se relacionar com propósito, fazendo o equilíbrio correto entre o “uso da tecnologia” e manter o “contato pessoal e o olho no olho” está no caminho errado.

Jordan Hang – Gerente de Marketing e E-commerce da Havan

O que deve ser tendência em 2019:

Para mim, 2019 vai ser o ano do conteúdo. A consolidação do conteúdo que as marcas proporcionam para os seus consumidores. É o ano de dar empoderamento para o consumidor e, principalmente, de usar as mídias sociais para perpetuar esse conteúdo. Cada vez mais temos que dar empoderamento para o consumidor através de conteúdo relevante e falar com ele onde ele está, no caso, as mídias sociais.

Muitas pessoas têm uma visão romântica de que as mídias sociais não são mais interessantes, que estão chatas. Mas esse ponto de vista romântico acaba sendo um limitador para que as empresas alcancem um novo estágio. Não importa se você acha que o Facebook ou o Instagram não é mais legal. O que importa é que os seus clientes – e os de qualquer empresa – estão nessa mídias sociais. Não utilizar as mídias digitais e sociais com conteúdo relevante é ficar para trás e deixar um grande espaço para quem está postando nesses canais.

O que deve ficar em 2018:

Cada vez teremos menos temos espaço para o marketing de achismo. “Eu acho que isso vai dar certo”, “eu acho que usar essa mídia social vai trazer mais resultado do que aquela”. Por muitos anos, o marketing se preocupou em apenas em fazer as coisas de uma forma visualmente bonita. Mas sem  uma análise de métricas e resultados, e como o mercado brasileiro é um mercado rígido, duro e difícil de empreender, a empresa não pode ter essa margem de erro. Nenhum negócio pode se expor ao risco de errar por causa de achismo. Então, o que tem que ficar em 2018 é o marketing de achismo, a falta de mensuração e de metrificação de resultados de qualquer campanha.

Lauren Piana – Gerente de Marketing da Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE)

O que vai ser tendência em 2019:

Desde a inteligência artificial ao branded content, todas as estratégias podem dar certo ou não de acordo com aderência aos objetivos do negócio, que precisa estar muito bem definido e adequado ao estágio de vida da empresa. Isso nunca irá mudar.

Em 2019, será interessante perceber que além dos canais e formatos disponíveis de mídia, os processos de marketing também devem continuar evoluindo e acompanhando as tendências. A mudança de foco precisará ser cada vez mais rápida e as equipes precisam estar atentas para entender quando mudar a rota e dar o suporte necessário aos times de gestão e produto. Criatividade e dados serão aliados chave para auxiliar nessa construção.

Como tendência consolidada para 2019 é possível confirmar a automação de serviços através de bots como grande tendência envolvendo a tecnologia e a continuidade das estratégias de vídeo como formato de comunicação mais atrativo. Este segundo ponto já vem gerando concorrência entre grandes players como Instagram e Youtube, que disputam audiência e incentivam uma produção cada vez maior.

O que deve ficar em 2018:

Alguns canais e estratégias de marketing mais maduras podem encontrar alguma dificuldade em crescer em 2019. O Facebook, por exemplo, já vem enfrentando uma queda significativa no número de usuários. Estratégias mal elaboradas pelas marcas podem potencializar esse êxodo ou migração para outras redes. De acordo com uma pesquisa da Opinion Box, 59% dos usuários já deixaram de seguir uma marca nas redes sociais por conteúdo ofensivo, por exemplo.

Patricia Rabello – Gerente de Comunicação e Marketing da Flex 

O que vai ser tendência em 2019:

Estudo da consultoria BCG, feito em parceria com o Google, aponta que as empresas que adotam ciência de dados em sua relação com consumidores têm receita até 20% maior e obtêm uma redução de custos que chega a 30%. As áreas de marketing e vendas são as que mais podem lançar mão da tecnologia para atrair novos consumidores e otimizar resultados. Tais cadeias são as mais sensíveis aos avanços da inteligência artificial, pois estão diretamente em contato com o consumidor e precisam entender seu comportamento para ser mais assertivas nas abordagens.

As novas tecnologias estão voltadas para entender e a jornada de consumo. O consumidor atual exige que a empresa saiba o que ele precisa e como ele quer ser atendido. O uso da IA permite, a partir de dados anonimizados, identificar grupos de consumidores que são formados a partir preferências e hábitos e que acompanham toda a jornada da compra. Isso também pode ser utilizada para guiar suas decisões, encontrando a melhor forma de atendê-lo.

Portanto, a tendência para o próximo ano será dar mais atenção à experiência do usuário, acompanhando sua jornada. O cliente final é quem escolhe quando e onde poderá interagir com a empresa.

O que deve ficar em 2018:

O momento é de transição, pois a transformação digital ainda está no começo. Fica um pouco mais difícil listar ações que deixam de existir ou passam a ser completamente ineficientes, pois ainda temos uma parcela do público que está se adaptando e ainda prefere meios e ações da forma como são feitas hoje. Acredito que técnicas mal empregadas que não tratam o consumidor como “único” tenderão a ser menos eficientes.  A empresa deverá dar ao cliente o canal de interação no momento e forma que ele escolher, ou seja, quanto mais personalizado mantendo as características de cliente único mais eficiente será a ação.

Giocéli Escorsin, Gerente de Marketing da Lacticínios Tirol 

O que vai ser tendência em 2019:

Acredito muito na força do digital, por meio do relacionamento da marca com os consumidores usando as plataformas das redes sociais. Entre as tendências para 2019 está o inbound marketing, de forma a tornar as marcas ainda mais fortes como fontes de conteúdo relevante nas plataformas digitais. Como as pessoas estão cada vez mais conectadas, ter uma marca com presença e relevância nas redes sociais é fundamental.

O que deve ficar em 2018:

Entendo que não basta mais a uma marca a simples presença em canais de comunicação sem que isso esteja atrelado e alinhado a um plano estratégico macro, que pense no relacionamento da marca com o consumidor e que mostre propósito, fomente a experiência e reafirme a relevância. Acredito que o que tende a acabar é a padronização na comunicação com o consumidor. Marcas que optarem pela padronização, em detrimento da personalização, terão feito uma péssima escolha.

 

Em qualquer cenário que se apresente em 2019, o fato é que o planejamento estratégico nas ações de marketing e comunicação vão seguir sendo cada vez mais importantes para gerar resultados. Veja neste conteúdo mais sobre a importância de ter uma estratégia de comunicação para fazer negócios.


Luisa Wink

Luisa Wink

Produtora de Conteúdo do Estúdio NSC Branded Content

Veja como deixar sua marca na memória do consumidor Conheça o Estúdio NSC
Sucesso! Sua mensagem foi enviada.
Ops! Nós tivemos um problema mensagem não enviada.
Negócios SC NSC Comunicação linkedin facebook infograico