logo Negócios SC
Simule sua Campanha
Comunicação

Conheça o verdadeiro perfil do público da rádio

17/11/2020

Existem alguns mitos sobre o perfil de público da rádio que precisam ser desbancados. Além de simplesmente não corresponderem à verdade, certas impressões sobre esse meio podem levar as marcas a perder boas oportunidades de investimento em mídia.

Por exemplo, pode-se imaginar que a rádio esteja cedendo terreno para um consumidor mais conectado com a internet, ou que seja um meio exclusivo a esta ou àquela faixa etária.

Quer saber agora a realidade a respeito do público da rádio? Então confira os dados a seguir. Esta é a oportunidade para deixar seu planejamento de comunicação mais completo e eficiente.

Quem é o público da rádio?

Ouvir rádio é democrático

Talvez o fato mais impressionante sobre a rádio é que o público dela, na verdade, são todos os públicos. De acordo com uma pesquisa de Kantar IBOPE Media, o perfil do ouvinte é a cara do brasileiro como um todo.

Analisando 13 metrópoles nacionais, vemos que até as distribuições demográficas são muito parecidas entre o total da população e da rádio.

Com relação ao gênero do público, nas regiões analisadas, a distribuição fica em 53% de mulheres e 47% de homens. Na rádio, a divisão é de 52% de mulheres e 48% de homens.

Situação parecida ocorre nas diferentes classes econômicas, divididas na população em A-B (34%), C (49%) e D-E (17%). Entre os ouvintes, os resultados são 37%, 45% e 18%, respectivamente.

Mas as similaridades não param por aí. Inclusive nas faixas etárias, vemos proporções bastante próximas a partir da fase adulta:

  • 10 a 19 anos: geral 15% / rádio 8%
  • 20 a 29 anos: geral 17% / rádio 16%
  • 30 a 39 anos: geral 18% / rádio 20%
  • 40 a 49 anos: geral 16% / rádio 18%
  • 50 a 59 anos: geral 15% / rádio 17%
  • mais de 60 anos: geral: 19% / rádio 21%

Maiores diferenças ocorrem apenas se isolarmos o ouvinte da rádio pela web. Neste caso, o perfil de público é majoritariamente de classe A-B, entre 20 e 39 anos.

Além da distribuição equilibrada entre as faixas etárias dos ouvintes, o percentual de ouvintes diários em cada uma delas também é próximo a partir dos 20 anos:

Ouvintes diários por faixa etária:

  • 20 a 34 anos: 53%
  • 35 a 49 anos: 55%
  • 50 a 59 anos: 51%
  • mais de 60 anos: 45%

No compilado geral, 78% da população das 13 metrópoles analisadas é ouvinte de rádio, de forma regular ou eventual. Por isso podemos dizer que o público da rádio é tão democrático.

Leia também: Rádio Atlântida: qual é o público e por que anunciar?

O público da rádio compreende diferentes faixas etárias e níveis de poder aquisitivo. (Foto via Freepik)

É um público conectado e influenciador

Com essa diversidade de perfis, é natural que as formas como se dão o consumo de rádio também sejam variadas.

A maioria do público (81%) ainda é fiel ao aparelho de rádio comum, mas 30% já sintonizam pela internet via celular, desktop e outros dispositivos. Como existe a possibilidade de ouvir em diferentes aparelhos, a soma ultrapassa os 100%.

Vale destacar nesse quesito que o consumo de rádio pela internet está em franco crescimento. Em 2020, o tempo médio diário pela web é de 2 horas e 55 minutos, ou 15 minutos a mais que em 2019.

Mais do que ouvir rádio pela internet, o ouvinte está disseminando os conteúdos desse meio pelo universo digital. Entre janeiro e junho de 2020, só no Twitter foram geradas quase 1 bilhão de impressões referentes a postagens com menção à rádio. O alcance foi obtido graças aos comentários de 650 mil usuários na rede, que produziram um total de 3,5 milhões de tuítes sobre conteúdo radialístico.

Como curiosidade, a Kantar IBOPE Media, por meio do Kantar Social Radio (KSR), ainda revela que os picos de postagens sobre rádio ocorrem às 10 horas da manhã e entre 18 e 20 horas da noite. Então, se a marca tiver divulgação na rádio nesses horários, pode ser interessante intensificar também a presença digital para alcançar o ouvinte conectado.

Leia também: Rádio aumenta alcance da comunicação de nicho

Ouvinte aumentou o consumo de rádio na pandemia

Outro argumento que reforça a importância da rádio na vida do brasileiro é que ela continua relevante na pandemia. Nesse período, 75% dos ouvintes afirmaram ouvir rádio com a mesma intensidade de antes — ou até mais. Enquanto isso, 17% relataram ouvir rádio muito mais desde o início de 2020.

Outro fato importante é que o meio tem atraído muitos novos anunciantes percebendo essa oportunidade de conexão com o público da rádio. Apenas no primeiro semestre de 2020, foram 2.232 novas empresas anunciando por ali.

Você também deseja se conectar com seu público-alvo? A rádio é um excelente caminho para isso. Descubra agora as oportunidades de anunciar nos veículos da NSC.


Content Creator

Estúdio NSC Branded Content

Tenha uma marca inesquecível! Comece agora
Sucesso! Sua mensagem foi enviada.
Ops! Nós tivemos um problema mensagem não enviada.
Negócios SC NSC Comunicação linkedin facebook infograico