logo Negócios SC
Simule sua Campanha

voltar

Negócios SC

Negócios SC

Economia

Exportação de carnes puxa comércio exterior catarinense

23/08/2021

A economia de Santa Catarina vive um bom ano nas vendas para o exterior. Entre os destaques da produção catarinense, a exportação de carnes atingiu a marca de 775,6 mil toneladas e teve um faturamento acima de 1,5 bilhão de dólares no primeiro semestre de 2021. Os números são do Ministério da Economia, sob análise do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa).

O Estado é o maior produtor de carne suína no Brasil, sendo responsável por 53% da receita gerada no País pela exportação desse item de janeiro a julho deste ano. No mesmo período, Santa Catarina respondeu por 24,3% das receitas da exportação de carne de frango, ocupando a segunda posição como maior produtor nacional nesse quesito.

Juntos, esses dois produtos têm um grande peso tanto no volume quanto no faturamento das exportações catarinenses, que somaram 4,643 bilhões de dólares entre janeiro e junho de 2021. Veja a seguir mais dados sobre o tema.

Exportação catarinense teve alta de 15,6% no primeiro semestre

Esse valor de 4,643 bilhões de dólares, divulgado na Balança Comercial do Observatório FIESC, representa uma alta de 15,6% em relação ao primeiro semestre de 2020.

 

Em junho deste ano, os principais produtos exportados por Santa Catarina foram:

  • Carnes de aves: 141,5 milhões de dólares.
  • Carne suína: 136,6 milhões de dólares.
  • Soja: 55 milhões de dólares.
  • Madeira compensada: 42,2 milhões de dólares.
  • Motores elétricos: 36,6 milhões de dólares.

Com exceção da soja, os demais itens tiveram alta de exportação frente a junho do ano anterior.

A China continua sendo o principal destino da produção catarinense, tendo comprado 165,7 milhões de dólares em junho deste ano, seguido pelos Estados Unidos, com 136,5 milhões de dólares em compras. Argentina, Chile e México ainda aparecem entre os maiores destinos das exportações de Santa Catarina.

Para a China vão principalmente as carnes de aves e a carne suína, que tiveram uma ligeira queda nas exportações nos últimos meses, assim como é o caso do Japão. Mas, segundo a percepção do analista Alexandre Giehl, há uma gradativa recuperação nesses mercados, o que pode favorecer o Estado.

Já com relação aos Estados Unidos, as compras abrangem principalmente madeira compensada, obras de carpintaria, outros móveis, partes de motor e motores elétricos. De acordo com o Observatório FIESC, as políticas de renda e emprego por lá tendem a gerar um resultado positivo aqui, fomentando o consumo das famílias estadunidenses.

Leia também: Intenção de consumo cresce pelo 4º mês seguido em SC

Carne de aves geraram quase US$ 830 milhões em exportações no 1º semestre. (Foto via Freepik)

Exportação de carnes de frango e suína ultrapassam US$ 1,5 bilhão 

As carnes de frango e suína representaram 33% da renda gerada pelas exportações de Santa Catarina no primeiro semestre de 2021.

Desse montante, a carne de frango gerou receitas de 829,3 milhões de dólares, em 492,6 mil toneladas embarcadas. Enquanto isso, foram exportadas 283 mil toneladas de carne suína, resultando um faturamento superior a 705 milhões de dólares.

Em julho, a exportação de carne suína teve um aumento de 29% em relação ao mesmo período de 2020. Só nesse mês. Santa Catarina teve um faturamento de 133,5 milhões de dólares com o produto, embarcando 53,2 mil toneladas. O saldo teve impacto do crescimento das vendas para mercados como Emirados Árabes (alta de 85,7% no faturamento), Estados Unidos (70,9%) e Chile (25%).

— Não há como falar de Santa Catarina sem destacar a pujança do nosso agronegócio. Nos tornamos referência internacional na produção de alimentos de qualidade e hoje temos acesso aos mercados mais competitivos do planeta. O resultado obtido no primeiro semestre deste ano demonstra toda essa força — declara Altair Silva, secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural.

Leia também: O desenvolvimento de Santa Catarina em 10 fatos

Movimentação recorde nos portos de Santa Catarina 

O comércio exterior do Estado também foi agitado neste primeiro semestre pelo aumento de 65,8% no valor das importações. Cobre refinado para a indústria de semicondutores e máquinas e equipamentos, e fertilizantes nitrogenados para a produção agrícola foram os produtos mais buscados pela economia catarinense.

O resultado dessas idas e vindas é a maior movimentação da história nos portos de Santa Catarina. Foram 31,9 milhões de toneladas movimentadas apenas no primeiro semestre de 2021, um número já muito superior ao registrado nos últimos anos.

  • 2017: 21 milhões de toneladas.
  • 2018: 22 milhões de toneladas.
  • 2019: 23 milhões de toneladas.
  • 2020: 24 milhões de toneladas.
  • 2021: 31,9 milhões de toneladas.

De acordo com os números da movimentação portuária de Santa Catarina, organizados pela FIESC, o Complexo Portuário de Itajaí teve a segunda maior movimentação de contêineres no Brasil, atrás apenas do Porto de Santos, entre janeiro e maio deste ano. O Complexo abrange o Porto de Itajaí e o Portonave.

Já o porto de Itapoá ocupa a quinta posição nesse ranking.

Acima de carnes e miudezas, as mercadorias mais transportadas em Santa Catarina, por número de toneladas, foram madeira, carvão vegetal e obras de madeira.

Ao todo, foram transportadas nos portos catarinenses cerca de 16,8 milhões de toneladas no primeiro semestre.

Para saber mais sobre o desempenho da economia catarinense, acompanhe as notícias do Estado na seção Conheça SC.


Negócios SC

Negócios SC


Quer acessar mais dados relevantes do mercado?
Confira nossa seção de pesquisas
Clique aqui
Sucesso! Sua mensagem foi enviada.
Ops! Nós tivemos um problema mensagem não enviada.
Negócios SC NSC Comunicação linkedin facebook youtube infograico