logo Negócios SC
Simule sua Campanha

voltar

Negócios SC

Negócios SC

Indústria

Cervejarias catarinenses despontam no mercado nacional

30/07/2021

Aos poucos, o gosto do brasileiro por cerveja vem se transformando. O costume da Pilsen vai dando lugar a uma tendência mundial pelo consumo de bebidas com maior intensidade de aroma, sabor e textura. E é nesse mercado em expansão que as cervejarias catarinenses têm brilhado.

Hoje, o pequeno estado de Santa Catarina firma-se como um dos gigantes na produção de cerveja nacional. Esse status é conferido sobretudo pela qualidade das marcas independentes, que representam 96% das fábricas de cervejas registradas no Brasil. O produto catarinense conquista apreciadores não só no País, como no mundo todo.

Confira os destaques das cervejarias catarinenses a seguir.

Setor cervejeiro de Santa Catarina cresce durante a pandemia

Santa Catarina tornou-se em 2021 o estado com maior proporção de cervejarias por pessoa em todo o Brasil. Há uma para cada 41.443 catarinenses, ultrapassando assim o Rio Grande do Sul, com 44.275 habitantes por cervejaria.

A liderança é resultado do crescimento do número de cervejarias catarinenses apesar da pandemia. Em 2020, o Estado contou 175 fabricantes do setor cervejeiro, acima das 148 registradas em 2019. Os dados são do Anuário da Cerveja, do Ministério da Agricultura.

Santa Catarina e São Paulo empatam no maior aumento proporcional de fabricantes. A alta foi de 18,2%, portanto superando a média brasileira de 14,4%.

O mercado cervejeiro catarinense é o quarto em número total de cervejarias por estado, mas está muito próximo de subir ao top 3 no Brasil. Existem 175 delas em Santa Catarina, três a menos do que as 178 de Minas Gerais, terceiro lugar no ranking.

Em todo o País, foram registradas 1.383 cervejarias no Anuário da Cerveja.

Esse crescimento durante a pandemia é explicado pelos investimentos que começaram ainda em 2019 ou antes. O cenário agora deve ser de uma expansão mais lenta no setor, até a completa retomada das atividades prejudicadas pela pandemia, mas Santa Catarina seguirá se firmando no topo do mercado nacional.

Leia também: Segmento de bares e restaurantes pode melhorar em 2021?

Lúpulo para produção da cerveja catarinense. (Foto via Freepik)

Cervejarias catarinenses são premiadas

A produção de cerveja em Santa Catarina é destaque não só pelo número de cervejarias no Estado, mas também pela qualidade das bebidas aqui produzidas. As cervejas catarinenses são premiadas nacionalmente e internacionalmente.

No âmbito nacional, a Cerveja Blumenau foi eleita a segunda melhor cervejaria no Concurso Brasileiro de Cervejas 2021. O lugar no pódio foi conquistado em disputa com 467 cervejarias, ao todo, e a marca ainda garantiu nove medalhas para seus rótulos na competição.

Outras representantes catarinenses também levaram medalhas de ouro, prata ou bronze na competição, como a Blauer Berg, a Nordus Cervejaria, a Unika, a Das Bier Cervejaria, a Kill Brew, a Lothbrok Cervejaria, a Lohn Bier, a Cerveja Stannis, a Armada Cervejeira e a Cervejaria Santa Catarina.

A Cervejaria Cozalinda, além de um ouro na categoria Ale Styles no Concurso Brasileiro de Cervejas 2021, trouxe uma medalha de prata no Brussels Beer Challenge 2020, realizado na Bélgica. Já a Al Fero Birrificio e a Lohn Bier foram premiadas no World Beer Awards 2020, sendo a Lohn Bier considerada a melhor do mundo na categoria Flavoured Herb and Spice.

Esses prêmios das cervejarias catarinenses vêm confirmar um fato incontestável: os produtos mais elaborados e a produção independente caíram no gosto do público.

Leia também: Veja as soluções em comunicação da NSC para gastronomia

Santa Catarina rumo à produção autossuficiente

No ano de 1516 foi estabelecida por Guilherme IV da Baviera, região que hoje compõe a Alemanha, a Lei da Pureza da Cerveja. Os únicos ingredientes permitidos para sua fabricação eram água, malte de cevada e lúpulo — a levedura ainda não era conhecida.

Esses quatro componentes, abrindo-se mais possibilidades de malte, como o de trigo, continuam sendo o padrão de qualidade da bebida. Mas há um problema: o Brasil importa 3,6 mil toneladas de lúpulo de países como Alemanha, Estados Unidos e República Tcheca, enquanto produz apenas 60 toneladas. 

Pelo menos, essa era a realidade do setor cervejeiro no Brasil até então.

Algumas iniciativas têm desenvolvido a produção nacional de lúpulo. Uma das mais importantes ocorre em Santa Catarina, mais especificamente em Lages, na Serra Catarinense. O projeto é conduzido pela Ambev, em colaboração com os produtores locais que já cultivavam o item, embora em escala reduzida.

O objetivo é estimular o cultivo em solo brasileiro e fazer todo processamento de lúpulo na região. Os produtores receberão as mudas como incentivo, além de poderem contar com auxílio técnico e contrato de compra da produção. Estima-se que o projeto beneficie cerca de 500 famílias no Estado até 2026.

Da iniciativa da Ambev já foram produzidas duas cervejas: a Green Belly, em parceria com a Lohn Bier, e a Brazilian Blonde Ale, em conjunto com nove microcervejarias catarinenses.

O estímulo à produção de lúpulo em Santa Catarina pode contribuir ainda mais com o desenvolvimento das cervejarias catarinenses. Isso deve trazer uma grande economia para os fabricantes, especialmente diante de um dólar elevado.

Veja agora mais destaques dos setores catarinenses que estão em alta.


Negócios SC

Negócios SC


Quer acessar mais dados relevantes do mercado?
Confira nossa seção de pesquisas
Clique aqui
Sucesso! Sua mensagem foi enviada.
Ops! Nós tivemos um problema mensagem não enviada.
Negócios SC NSC Comunicação linkedin facebook youtube infograico