logo Negócios SC
Simule sua Campanha

voltar

Negócios SC

Negócios SC

Novidade do setor

Segmento de bares e restaurantes pode melhorar em 2021?

09/07/2021

O setor de serviços no Brasil, aquele que mais emprega e tem maior participação no PIB nacional, foi o mais prejudicado pelo cenário de pandemia no País. O segmento de bares e restaurantes, em especial, enfrentou sérias dificuldades pelas restrições ao funcionamento dos negócios e à circulação de pessoas.

O segmento perdeu 1,2 milhão de postos de trabalho em 2020. Em número de empresas, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) estima que 335 mil bares e restaurantes tenham encerrado as suas atividades durante a pandemia no Brasil.

Mas quais são as perspectivas para as empresas que atuam com alimentação e bebidas em 2021? Adiante trazemos alguns dados a respeito. Acompanhe.

A situação de bares e restaurantes em 2021

O volume do setor de serviços caiu 7,8% no acumulado de 2020, em relação ao ano anterior, segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), do IBGE. Essa queda foi puxada principalmente pelas atividades de serviços prestados às famílias, que inclui os restaurantes (-35,6%), além de alojamento e alimentação (-36,6%) e transporte aéreo (-36,9%).

No entanto, o movimento era de melhora no setor neste início do ano. Até abril, os serviços cresceram 3,7% no acumulado do ano. O bom resultado interrompeu três quadrimestres consecutivos de taxas negativas.

No segmento de bares e restaurantes, o desempenho econômico deu algum fôlego aos empresários. Tanto que o Índice de Consumo em Restaurantes (ICR), da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), em parceria com a Alelo, teve em janeiro de 2021 os melhores percentuais da pandemia em volume e valor de vendas na comparação com o mesmo mês de 2019. Em relação a janeiro de 2019, foram registradas retrações de 39,7% em volume e 22,9% em valor.

A situação ficou mais difícil entre março e abril, com o avanço de uma nova onda do coronavírus no País. Com isso, houve novas restrições e menos pessoas consumindo em bares e restaurantes. O ICR de abril então teve quedas mais acentuadas, com -51,4% em volume e -33,2% em vendas, na comparação com abril de 2019.

Já de acordo com a PMS, o volume das atividades de serviços prestados às famílias tiveram um recuo de 28% em março deste ano, frente ao mês anterior de fevereiro. Em abril viu-se uma melhora, com crescimento de 9,3% em relação a março.

A Abrasel ainda analisa esse momento pelo percentual de proprietários de bares e restaurantes operando em prejuízo. Em março de 2021, 82% tiveram prejuízo, número muito maior que os 66% registrados em janeiro deste mesmo ano. Mas em abril a situação já foi um pouco menos grave, quando 77% dos empresários revelaram trabalhar com prejuízo.

Leia também: Conheça os programas de crédito para MEIs e PMEs em SC

Bares e restaurantes têm perspectiva de crescimento a partir de julho. (Foto via Freepik)

Perspectiva de melhora para bares e restaurantes no segundo semestre

Depois dessa onda da pandemia, o segmento de bares e restaurantes, assim como o setor de serviços, dá sinais de recuperação. Prova disso é que o setor fechou maio com um saldo positivo de postos de trabalho, somando 110.956 vagas com carteira assinada, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Prorrogações e novos empréstimos do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), junto às demais linhas de crédito já disponíveis para empresários e à nova rodada do Benefício Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEm) também devem beneficiar o segmento.

Mas é do avanço da vacinação contra a Covid-19 que vem as melhores perspectivas para a retomada econômica de bares e restaurantes. Paulo Solmucci, presidente da Abrasel, vê a partir disso um recuo da pandemia no Brasil e o consequente aquecimento do consumo.

De acordo com Solmucci, já se percebem alguns indícios positivos no aumento do ticket médio e nas contratações que estão sendo feitas pelas empresas. Otimista, a Abrasel aposta em um segundo semestre de 2021 com o mesmo patamar de consumo que o observado em 2019. O impulsionamento começaria a partir de julho.

Já o Sebrae é um pouco mais cauteloso e aponta outubro como o ponto de virada para o segmento. Até o final desse mês, dois terços da população brasileira já deve estar imunizada com duas doses, se não houver atrasos no calendário de vacinação.

A recuperação de bares e restaurantes viria em seguida à de comércio de alimentos, logística, negócios pet, oficinas, construção, indústria de base tecnológica, educação, saúde e bem-estar e serviços empresariais. Mas deve acontecer antes dos mercados de beleza, turismo e economia criativa.

Até 1º de setembro deste ano, 9,5 milhões de pequenos negócios no Brasil podem retornar ao nível pré-pandemia, de acordo com a projeção do Sebrae.

Já pensando nessa retomada, confira nossos cases de sucesso para inspirar a comunicação do seu bar ou restaurante e reconquistar o público.


Negócios SC


Já ouviu o podcast Negócios SC? Conteúdo direto ao ponto com convidados super especiais Ouça aqui
Sucesso! Sua mensagem foi enviada.
Ops! Nós tivemos um problema mensagem não enviada.
Negócios SC NSC Comunicação linkedin facebook youtube infograico