logo Negócios SC
Simule sua Campanha

voltar

Negócios SC

Negócios SC

Marketing

Quais são os hábitos de compra do consumidor maduro?

26/05/2022

Você sabia que Santa Catarina tem a maior expectativa de vida do Brasil? Até a pandemia de Covid-19, os moradores do Estado tinham uma expectativa de 79,9 anos, segundo o IBGE, muito acima da média nacional de 76,6 anos. No País, esse indicador cresceu mais de 30 anos desde a década de 1940.

Com isso, a pirâmide etária no Brasil vai se invertendo, enquanto o grupo da terceira idade torna-se cada vez maior. Inclusive, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) estima que um a cada três brasileiros será idoso em 2060.

Essa transformação terá um impacto crescente em diferentes mercados, do trabalho ao consumo. Mas é neste último aspecto que as marcas precisam se concentrar agora, porque algumas mudanças importantes já estão em andamento, como o comportamento de compras pela internet na terceira idade.

Para ficar por dentro do assunto, acompanhe os dados adiante.

O impacto do consumidor maduro na economia brasileira

De acordo com a pesquisa “Longeratividade”, realizada pelo Instituto Locomotiva para o Grupo Bradesco Seguros, os brasileiros acima de 50 anos movimentam mais de R$ 1,8 trilhão por ano na economia brasileira, sendo metade dessa renda vinda do trabalho.

O impacto desse consumidor maduro ocorre de duas formas: direta e indireta. Em primeiro lugar, é direta porque ele é um participante ativo na economia. Segundo o estudo “Hábitos de Compra do Consumidor 60+”, da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), 86% das pessoas nesse perfil são responsáveis pelo controle das finanças e decisões de compra.

A terceira idade também tem um papel indireto fundamental no mercado de consumo. Isso porque os idosos respondem por mais da metade da renda em 20% dos 71 milhões de lares no Brasil, como revela a economista Ana Amélia Camarano, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Mas se engana quem pensa que esse consumidor limita seu consumo a produtos e serviços voltados para a idade. A pesquisa “Estilo de Vida e Consumo na Terceira Idade 2018”, da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) com SPC Brasil, mostra que os idosos têm maior intenção de viajar (24%) do que comprar perfumes e cosméticos (19%).

Por outro lado, 51,6% dos indivíduos desse grupo ainda sentem dificuldades de encontrar produtos e serviços específicos para a terceira idade. Alimentos, locais para sair, celulares e roupas estão entre as categorias que precisam adaptar-se melhor a esse público.

Leia também: Estudo revela o comportamento das gerações em SC

Quase metade dos consumidores 60+ frequenta o mercado toda semana. (Foto via Freepik)

Compras físicas e digitais na terceira idade

A SBVC ainda mostra que, no ano de 2021, os comércios físicos mais frequentados pelos consumidores acima de 60 anos foram, nesta ordem, redes de hipermercado ou supermercado, farmácias e centros comerciais.

  • Mercados: 49% dos consumidores tiveram frequência semanal e 19% quinzenal.
  • Farmácias: 12% de frequência semanal e 24% quinzenal.
  • Centros comerciais: 7% de frequência semanal e 8% quinzenal.

Ao comprar na loja física, a escolha dos idosos é influenciada, principalmente, pela qualidade e atenção no atendimento (84%). Em seguida, estão o preço (80%) e a facilidade de acesso ao PDV (72%).

Entretanto, não podemos nos esquecer de que esse também é um consumidor digital. De acordo com a SBVC, 84% dos indivíduos da terceira idade conectados no Brasil compram on-line. Para isso, 81% desse grupo utiliza o smartphone, o que reforça a necessidade de as marcas priorizarem a experiência na navegação móvel.

Conveniência e preço são os principais atrativos para quem compra pela internet, mas o consumidor ainda tem alguns entraves para comprar on-line. O maior deles é a sensação de falta de segurança ao informar os dados bancários. Então, é preciso salientar igualmente a questão da proteção de dados no e-commerce.

Leia também: Como superar a maior dificuldade das lojas na internet?

Consumo de mídia na terceira idade

Agora, como é possível atrair esse consumidor? A resposta está na mídia, seja on-line, seja off-line. Isso porque os consumidores da terceira idade estão sempre em busca de informação e entretenimento.

Nesse sentido, a Kantar IBOPE Media revela que entre a geração baby boomer, nascida nas décadas de 1940 e 1950, 98% das pessoas consideram muito importante estar bem informado. Não à toa, uma das principais audiências do telejornalismo da NSC TV é composta por um espectador mais maduro. 

Mas o consumo de mídia ocorre igualmente por prazer. Segundo a CNDL/SPC Brasil, 59% desse público costuma assistir à televisão nos momentos de lazer. Mais de um terço (35%) afirma ouvir música para se distrair e se divertir, enquanto 30% deles navegam na internet com essa finalidade. Inclusive, vale destacar que 97% dos idosos estão conectados. 

Para saber mais sobre os hábitos desse público, baixe o estudo do Negócios SC com o Comportamento das Gerações e como isso impacta as marcas.


Negócios SC


Já ouviu o podcast Negócios SC? Conteúdo direto ao ponto com convidados super especiais Ouça aqui
Sucesso! Sua mensagem foi enviada.
Ops! Nós tivemos um problema mensagem não enviada.
Negócios SC NSC Comunicação linkedin facebook youtube infograico