logo Negócios SC
Simule sua Campanha
Marketing

O que são D2C brands, ou marcas direto para o consumidor?

05/11/2019

A transformação digital não só trouxe consigo produtos e serviços inimagináveis até há alguns anos, como possibilitou a otimização dos mais variados processos internos e externos dos negócios. Mais do que isso, proporcionou também o fortalecimento de um novo modelo de marcas direto para o consumidor.

Empresas nativas da era digital e até mesmo grandes companhias já consolidadas veem nesse modelo uma forma de estreitar a relação com o público-alvo e, claro, aumentar os lucros. Veja a seguir como ele funciona e por que é tendência.

O que são D2C Brands e como funcionam?

Direct brands, ou direct to consumer, ou ainda marcas direto para o consumidor, têm como princípio cortar intermediários entre o fluxo de produção e comercialização. Ao centralizar a disponibilização dos produtos ou serviços por meio da própria marca, elas se relacionam de uma forma muito mais próxima com os clientes.

Entretanto, nem sempre a empresa internalizará absolutamente todas as funções. Ela pode não ter uma fábrica e apenas controlar a produção de artigos personalizados para o público dela. Ou poderá contar com um parceiro estratégico de comunicação. O que a torna direta é o fato de os consumidores poderem comprar diretamente por ela.

Uma diferença clara entre o modelo tradicional e o modelo das direct brands pode ser vista no mercado das lâminas de barbear. A Gillette, por exemplo, tem produtos em supermercados, farmácias, lojas de conveniência, entre tantos outros pontos de venda. Por causa disso, a marca não tem controle sobre como os produtos são apresentados ao consumidor final ou mesmo sobre o preço de cada estabelecimento.

Já uma direct brand como Dollar Shave Club, um serviço de assinatura nos EUA de produtos de barbear, tem controle sobre as vendas (canal on-line) e sobre a distribuição (entrega para os assinantes), além da criação dos produtos que serão oferecidos.

No Brasil, a Amaro é um exemplo frequentemente citado de empresa DTC. Ela elimina a etapa do distribuidor, como as lojas multimarcas, e foca a comercialização diretamente em marketplaces e no site próprio. Para a marca, isso fortalece sua imagem. Para o consumidor, há menos custos de terceiros envolvidos.

Leia também: Varejo físico e e-commerce: colocando duas esferas para conversar

Modelo de venda direto para o consumidor da Amaro. (Fonte)

A importância dos canais de venda digitais

As marcas direto para o consumidor não precisam ser exclusivamente digitais, mas a venda on-line tem um papel essencial nesse modelo.

Muitas delas nasceram já digitais enquanto outras, do porte de Nike e Nestlé, adaptaram-se à nova realidade do mercado para oferecer opções diretas de compra. Especialmente entre o público dos 22 aos 34 anos, com maior renda, a busca por produtos ou serviços de nicho o acaba levando até essas marcas que oferecem algo diferenciado a ele.

O papel da venda digital — e não só do e-commerce próprio, mas dos marketplaces, das vendas pelas redes sociais etc. — é o de facilitar e encurtar caminhos. Em vez de o consumidor procurar quem vende determinado produto em sua região, ele acessa os canais da própria marca e neles já faz a compra. A marca então se torna onipresente.

Lojas físicas podem, assim, ter um papel mais estratégico na relação com o cliente. Empresas do vestuário como a Bonobos utilizam o conceito de “guide shop”, isto é, do PDV mais como um espaço de descoberta e experiência que de compra propriamente dita. Nesses estabelecimentos, o público pode experimentar as peças e depois comprar on-line, ou comprá-las virtualmente na loja e recebê-las na comodidade do lar.

Leia também: 5 respostas sobre o novo marketing para o varejo

Direct brands não são um conceito novo, mas a internet facilitou esse modelo. (Foto via Kaboompics.)

Conhecimento e aproximação do público

Outra grande vantagem das direct brands é que, por trabalharem de forma de forma mais centralizada e digital, podem coletar e usar dados a favor do negócio.

Ao depender de revendas, distribuidores e afins, a marca perde o acesso a uma riqueza de informações que há nos pontos de contato com o consumidor. Porém, quando o relacionamento é trazido para o digital, onde há uma possibilidade de mensuração e análise muito mais precisa do comportamento do público, a empresa tem condições de oferecer produtos e serviços cada vez melhores.

O maior foco no consumidor igualmente permite entender melhor a jornada de compra, com as dúvidas, dores e dificuldades que surgem no caminho, para ter melhores resultados nas vendas.

Se a sua empresa também está em busca de outras formas de aumentar o desempenho dos negócios e vender mais, não deixe de ler o artigo “Estratégias para atrair clientes no varejo físico e on-line” em que abordamos diversos temas relacionados ao que acabou de ler. E aqui no portal Negócios SC tem muito mais informações interessantes para você, não perca!


Content Creator

Estúdio NSC Branded Content

Tenha uma marca inesquecível! Comece agora
Sucesso! Sua mensagem foi enviada.
Ops! Nós tivemos um problema mensagem não enviada.
Negócios SC NSC Comunicação linkedin facebook infograico