logo Negócios SC
Simule sua Campanha
Marketing

O que as empresas resilientes fazem?

11/06/2020

Resistir, adaptar-se, seguir em frente como puder. Esse tem sido o lema de muitas empresas resilientes neste momento de crise por causa do novo coronavírus.

Agora, do que se trata exatamente essa resiliência de que se fala tanto? Ela é indispensável para atravessar não só esta, mas qualquer dificuldade que os empreendedores encontram no caminho dos negócios.

Pensando nisso, vamos abordar essa questão em seguida e mostrar o que fazem as empresas resilientes na pandemia de Covid-19.

O que é ser uma empresa resiliente?

Primeiro, precisamos deixar claro o que é resiliência. Esse conceito, na verdade, vai além do meio profissional ou empresarial.

A definição de resiliência vem da Física e, colocando em termos simples, refere-se à capacidade de um material ou corpo retornar ao estado original depois de receber determinada pressão. Quando você comprime ou estica uma mola, por exemplo, ao soltá-la ela voltará à forma de antes.

Na Psicologia, essa imagem é emprestada para explicar a capacidade de o indivíduo enfrentar situações adversas sem se desconfigurar. É por isso que no mercado de trabalho a resiliência é tão valorizada: são as dificuldades naturais do cotidiano que revelam a verdadeira natureza de alguém.

Chegamos ao contexto empresarial. Uma empresa resiliente, portanto, não é aquela que nunca passou por qualquer dificuldade. É aquela que soube suportar a pressão, desenvolveu mecanismos para reagir sem perder a essência e encontrou força para empurrar de volta.

Uma empresa sem um único problema em sua história nada mais é que um negócio nunca testado. São os desafios que revelam a dimensão de nossa força.

Leia também: Gestão de crise: Como lidar com cortes?

Lidar com adversidades é parte natural da vida das empresas. (Foto via Freepik)

O que as empresas resilientes fazem na crise

Agora que cobrimos o básico da resiliência, podemos entender o que as empresas resilientes fazem em um cenário de crise como o do novo coronavírus. Nesse sentido, a McKinsey & Company, no relatório “O novo consumidor pós COVID” apontou algumas iniciativas que destacamos a seguir.

1. Equilíbrio urgente das finanças

Amenizar o baque econômico é o primeiro passo para coordenar a reação. É necessário ter uma “sala de guerra”, mesmo que virtual, durante toda a crise. Devem fazer parte dela os empreendedores, gestores de cada área e o setor financeiro para deliberar juntos os cortes necessários à sobrevivência do negócio.

Falamos aí de todos os gastos que podem ser reduzidos agora e que não sejam críticos no longo prazo: produtos de pouco giro de vendas, viagens, eventos etc. Vale lembrar que marketing é um investimento essencial de longo prazo, sem o qual não se conseguirá gerar oportunidades de negócio agora nem sair mais rápido da crise depois.

2. Transformação rápida

Com o caixa seguro para continuar a operação, as empresas resilientes trabalham rapidamente para ser mais produtivas e planejar a recuperação das vendas. Todos os colaboradores devem abraçar a causa da empresa e atuar na mesma direção, em conjunto.

3. Pensamento além da crise

É importante ter em mente que a pressão uma hora será aliviada, então se deve planejar também o pós-crise. A McKinsey orienta no sentido da projetação de investimentos essenciais de longo prazo, como a comunicação e o desenvolvimento de produtos ou serviços que se encaixarão no novo normal.

A consultoria empresarial fala ainda de um equilíbrio entre o time de resposta imediata à crise e o time de planejamento futuro. O esforço inicial, claro, deve ser para garantir a sobrevivência presente do negócio — não romper a mola. No entanto, assim que a situação se estabilizar, o médio e longo prazo entram em cena com maior presença nas discussões.

Essa transição ao longo do tempo é definida nos 3Rs das empresas resilientes:

  • Responder: medidas necessárias para proteger a continuidade da operação.
  • Retornar: gerenciamento continuado da crise e identificação de oportunidades.
  • Reimaginar: pensar como a empresa deveria reinventar estratégias e a operação no pós-crise.

Leia também: Como reinventar seu negócio em meio à crise?

4. Realocação de recursos

Outra iniciativa das empresas resilientes é movimentar internamente recursos, sejam financeiros, sejam de mão de obra, para onde eles forem mais necessários em determinado momento.

Por exemplo, se uma empresa está com dificuldade de qualificar leads e eles não estão chegando aos vendedores, estes podem ser direcionados momentaneamente para o pré-vendas a fim de garantir o andamento das negociações.

5. Adaptação da operação

Diferentemente da definição de resiliência da Física, em que se volta à forma original, as empresas resilientes sabem que talvez seja necessário voltar com alguma mudança. Em um primeiro momento, são ágeis para adequar a proposta de valor às necessidades atuais do consumidor e abrir novos canais de vendas. No longo prazo, podem se reestruturar para continuarem relevantes em um mundo também em transformação.

Quer saber mais sobre como se preparar para a jornada empreendedora? Aprenda quais são as dez competências essenciais de gestores de sucesso no e-book Liderança e Empreendedorismo, para baixar grátis.


Content Creator

Estúdio NSC Branded Content

Tenha uma marca inesquecível! Comece agora
Sucesso! Sua mensagem foi enviada.
Ops! Nós tivemos um problema mensagem não enviada.
Negócios SC NSC Comunicação linkedin facebook infograico