logo Negócios SC
Simule sua Campanha

voltar

Negócios SC

Negócios SC

Marketing

Novo estudo traz dados do mercado imobiliário catarinense

28/07/2022

Ao longo de 2022, cerca de 20% dos catarinenses tinham a intenção de comprar um imóvel.

Esse dado presente no “Raio X dos Catarinenses”, divulgado no final de 2021, reflete um período de grande aquecimento do mercado imobiliário no Brasil. No último ano, a venda de novos imóveis teve um crescimento de 12,8% em relação a 2020, enquanto os lançamentos tiveram alta de 25,9%, segundo informações da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e do Senai, em parceria com a Brain Inteligência Estratégica.

O cenário, realmente, foi bastante favorável para o setor de imóveis. A maior adoção do home office apontou a necessidade de mudança, ao passo que a política de redução das taxas de juros entre 2020 e 2021 ofereceu melhores condições para a compra.

Agora, passada mais da metade do ano, o que ainda podemos esperar do mercado imobiliário? Acompanhe a explicação e descubra!

O mercado imobiliário em 2022

Diferentes forças têm puxado o mercado imobiliário no Brasil, ora para um lado, ora para o outro, mas com tendência ao equilíbrio.

A principal mudança para o consumidor foi o aumento das taxas básicas de juros. No entanto, a taxa de juros para financiamentos imobiliários (9%) fechou o primeiro trimestre de 2022 abaixo da Selic (9,5%), de acordo com Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) e Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Contrabalançando o maior preço dos imóveis, acumulado em 5,6% nos 12 meses até março deste ano, a renda domiciliar aumentou 4,2% nesse período. As taxas congeladas no Programa Casa Verde e Amarela, além das condições de crédito na Caixa, também estimularam o mercado.

Com isso, o primeiro trimestre de 2022 foi positivo para o setor imobiliário no Brasil, como mostram os dados da Abrainc. Entre janeiro e março deste ano, as vendas aumentaram 6,8% na comparação com o mesmo período do ano passado e 0,9% no acumulado de 12 meses. Os lançamentos estiveram igualmente em alta: 2,9% na comparação dos primeiros trimestres de 2022 e 2021 e 20% no acumulado de 12 meses.

Um ponto de atenção para as empresas do setor tem sido o preço dos insumos de construção. Isso aumenta o custo dos imóveis, o que leva a uma menor acessibilidade dos produtos ao consumidor.

Contudo, para quem procura imóveis para investir, esse tem sido um período de grande valorização. Os imóveis valorizaram, em média, 5% em Florianópolis, 3,3% em Joinville e 13,4% em Balneário Camboriú no acumulado de 12 meses até março de 2022, segundo a Agência Imóveis.

Leia também: Mercado imobiliário supera crise e aposta em tendências

Venda de imóveis continuou em alta no início de 2022. (Foto via Freepik)

Quem compra e quem aluga imóveis em Santa Catarina

O estudo de Mercado Imobiliário, produzido pelo Negócios SC, apresenta três perfis de públicos interessados no setor:

  • Proprietários: que possuem imóveis para alugar.
  • Compradores: que adquiriram imóveis recentemente ou ainda pretendem comprar.
  • Inquilinos: aqueles que não possuem imóveis e buscam onde alugar.

Entre os compradores, que têm maior impacto sobre o mercado imobiliário, o estudo identifica um perfil composto sobretudo por homens das classes A e B, com idade acima de 55 anos. Entretanto, a faixa etária dos 25 a 34 anos também tem um interesse elevado na compra de imóveis.

Para os compradores, segundo a Kantar IBOPE Media, preço e localização representam os dois fatores mais importantes na escolha. O resultado está em linha com os achados da Brain para a Abrainc na pesquisa Jornada de Compra do Imóvel. Inclusive, os dados apontam que encontrar o produto ideal (levando em conta a localização, o imóvel e o preço) é uma etapa muito mais complicada que o processo de financiamento.

Mas, para o comprador de alto poder aquisitivo, a jornada de compra é bem mais curta. No Brasil, 81% do público com renda acima de R$ 16.500 realiza a aquisição em até 6 meses. Já no grupo com renda entre R$ 2.500 e R$ 4.250 esse percentual cai para 72%.

Em geral, 50% dos interessados em comprar imóvel visitam até 3 imóveis. Outros 27% fazem visitas a 4 ou 5 imóveis, enquanto 23% procuram conhecer 6 imóveis ou mais.

Leia também: NSC ajuda a fortalecer a marca Floripa Lançamentos

Baixe o estudo de Mercado Imobiliário catarinense

No material completo você ainda descobrirá os detalhes demográficos dos perfis de proprietários e inquilinos, tendo assim uma melhor compreensão do mercado imobiliário em Santa Catarina.

Outros destaques do estudo incluem:

  • Cenário macro e comparação entre 2021 e 2022.
  • Valorização real, por tipo de imóvel, em grandes cidades catarinenses.
  • Quais são os meios de comunicação mais consumidos por cada perfil do mercado imobiliário.
  • E quais veículos da NSC têm maior afinidade com esses perfis, para tornar as estratégias de marketing no setor mais eficientes.

Quer ficar por dentro de tudo isso? Então baixe o estudo de Mercado Imobiliário e veja as informações que trazemos sobre o tema.


Negócios SC


Já ouviu o podcast Negócios SC? Conteúdo direto ao ponto com convidados super especiais Ouça aqui
Sucesso! Sua mensagem foi enviada.
Ops! Nós tivemos um problema mensagem não enviada.
Negócios SC NSC Comunicação linkedin facebook youtube infograico