logo Negócios SC
Simule sua Campanha
Comunicação

Fazer evento on-line ou adiar a data, o que é melhor agora?

02/04/2020

Um dos primeiros setores a ser afetado pelo surto da COVID-19, causada pelo novo coronavírus, foi o mercado de eventos. Festivais, jogos, feiras, exposições e, claro, eventos de negócios tiveram de ser cancelados, adiados ou transferidos para o ambiente digital.

Você sabe, então, qual é o melhor caminho a seguir para sua agenda? Fazer um evento on-line ou aguardar? As considerações a seguir podem ajudar sua empresa nessa decisão.

Cancelar X adiar

O primeiro dilema dos organizadores de eventos de negócios é entre cancelar ou adiar. Mas o cancelamento só deve ser considerado em circunstâncias específicas, como em eventos regulares que podem ter o hiato de uma edição, ou restritos a uma data especial.

No geral, o que tem sido reportado é um grande número de adiamentos, mesmo que sem data definida para realização. Essa é a postura buscada pelo setor hoteleiro, outro que tem sentido em maior nível o impacto do novo coronavírus.

Em Santa Catarina, uma iniciativa pelo adiamento das reservas vem da startup Asksuite, plataforma de atendimento automático com inteligência artificial para hotéis e resorts. A campanha Change the Date (Mude a Data) procura conscientizar o público sobre essa questão.

— O mercado de hotelaria e turismo é, sem dúvida, um dos mais afetados pela pandemia do coronavírus. Este setor emprega milhões de pessoas e precisa de ajuda para se manter vivo. Para ajudar a hotelaria, a Asksuite lançou a campanha Change the Date com o objetivo de conscientizar os viajantes a não cancelarem suas reservas, mas, sim, remarcarem ou pegarem crédito para o futuro — relata Paula Carreirão, da área de marketing internacional da Asksuite.

Leia também: Como pensar suas campanhas durante o coronavírus?

Fazer o evento on-line ou aguardar o evento presencial?

O adiamento tem essa vantagem de contribuir com outros setores da economia. Em alguns casos, dependendo do objetivo do evento, a realização presencial parece indispensável. Eventos que envolvam marketing de experiência, testes de produtos e outras formas de contato direto com o público são os que têm maior dificuldade de transferência para a internet.

Para Patrícia Menegoto, event experience designer, é melhor adiar o evento “quando a marca entender que o grande diferencial dela está na experiência física e não no valor agregado do seu produto.” 

Mas, graças à tecnologia, hoje pode ser revisto o que até ontem era considerado imutável.

— Após o salão do automóvel de Genebra ter sido 100% on-line, as empresas precisam repensar se é mesmo preciso estar presente fisicamente para vender — ressalta a especialista em eventos.

Ela também comenta que talvez nem todas as ações planejadas para o off-line possam ser replicadas no on-line, porém o conteúdo, esse sim, tem mais valor do que nunca.

— Em tempos incertos, ganha quem consegue ser um guia. E as pessoas estão procurando por um sentimento de pertencimento e conforto. Construir uma comunidade, com conteúdo relevantes, é um dos segredos para engajar um público fiel no longo prazo.

Para ler e reler: Guia completo de vídeo marketing para conteúdos de impacto

Eventos on-line podem ser uma alternativa. (Foto via Freepik)

Na hora de fazer eventos on-line

Então, se o caminho escolhido pela empresa for o da realização do evento on-line, existem alguns pontos importantes a observar. O primeiro, destaca Patrícia, diz respeito à escala do evento em si.

— Pense em como movimentar a marca ao criar uma comunidade leal, em especial com eventos e ações on-line menores para que, quando tudo isso passar, as pessoas ainda se lembrem da sua marca e estejam, mais do que nunca, animadas em ir ao seu evento presencial.

O segundo ponto levantado tem relação com o ambiente digital. Não se trata apenas de pegar uma câmera e gravar. É preciso levar o máximo da experiência física para a internet.

— Devemos lembrar que as pessoas estão assistindo ao evento por meio de diferentes telas, no conforto de suas casas. Então, criar uma experiência on-line começa com ferramentas que proporcionem engajamento e vai até pensar no layout do conteúdo apresentado.

Patrícia Menegoto cita recursos para utilizar na transmissão que simulam o ambiente real, como chat ao vivo, espaço de tempo para networking e ações de merchandising com uma área de exposição para os patrocinadores. E completa:

— Uma excelente dica é adicionar elementos surpresas. Quem sabe mudar o formato: em vez de fazer o evento de um dia inteiro, que tal fazer um evento de duas horas por dia, no mesmo horário, no decorrer da semana?

Por fim, vale aproveitar o conteúdo do evento on-line nos diversos canais digitais da marca. Como orienta Nikki Garvey, head de anúncios, eventos e experiências do YouTube:

“Não subestime os seus próprios canais: seu site, email marketing, blogs e redes sociais”.

Assim, sua empresa estende o aproveitamento do evento para além do instante de realização.

Quer ter mais resultados com suas falas em eventos? Então confira nosso e-book gratuito sobre Gatilhos Mentais e Persuasão. Com ele, você aprenderá as técnicas para aumentar as vendas do seu negócio. Baixe agora.


Content Creator

Estúdio NSC Branded Content

Tenha uma marca inesquecível! Comece agora
Sucesso! Sua mensagem foi enviada.
Ops! Nós tivemos um problema mensagem não enviada.
Negócios SC NSC Comunicação linkedin facebook infograico