logo Negócios SC
Simule sua Campanha

voltar

Negócios SC

Negócios SC

Comunicação

Entretenimento digital: como os brasileiros se engajam?

05/07/2022

Notícias, serviços e entretenimento são os tipos de conteúdo com maior alcance entre as pessoas conectadas à internet no Brasil, segundo o relatório “O que atrai os brasileiros?”, da Comscore.

Desses três, o entretenimento ainda ocupa a terceira posição em tempo consumido entre diferentes conteúdos on-line, atrás apenas das redes sociais e dos serviços, como o e-mail. Portanto, ele oferece excelentes oportunidades para os anunciantes digitais, já que mescla a ampla adesão do público com um alto período de exposição no dia a dia.

O relatório leva em consideração conteúdos relacionados com programas de televisão, filmes, música e humor, além de notícias e informações do mundo do entretenimento. Desse modo, a Comscore procurou analisar como os brasileiros se entretêm na internet, navegando pelo celular, tablet ou desktop. Veja a seguir as principais descobertas dessa análise.

Entretenimento digital alcança 98% dos internautas brasileiros

Conteúdos de entretenimento chegam à quase totalidade dos brasileiros com acesso à internet. No País, 98% dos internautas consomem algum conteúdo do tipo. Somente notícias (99,8%) e serviços (98,8%) têm maior alcance nesse aspecto.

Por conteúdo de entretenimento, o relatório da Comscore engloba serviços de streaming de vídeo como Globoplay e Netflix, sites de mídia como o YouTube, plataformas de áudio como Spotify, além de portais com informações relacionadas, a exemplo de Gshow, IMDB, entre tantos outros.

Esse índice de 98% coloca o Brasil em segundo lugar no ranking com 11 mercados em termos de alcance do entretenimento digital, levando vantagem sobre Estados Unidos, Canadá, França, Índia e outros países. Apenas o Reino Unido, com penetração de 98,7%, fica à frente.

Já em relação ao tempo gasto com conteúdo no Brasil, o entretenimento ocupa 16,1% do total de minutos passados pelos brasileiros. As redes sociais (41,5%) e serviços (19,4%) são líderes nesse sentido.

No entanto, mesmo quando está nas redes sociais, o brasileiro continua pensando e falando sobre entretenimento. De acordo com o Buzzmonitor, a categoria mídia e entretenimento representou 45,3% dos Trending Topics no Twitter, em 2021, entre os internautas do País. O tema chegou a superar os esportes (45,2%), vencendo a disputa com o futebol e as Olimpíadas.

Além disso, vale destacar que o Big Brother Brasil foi o programa de televisão mais comentado no Twitter em todo o mundo, no ano de 2021, segundo a própria rede social.

A Comscore também analisou esse impacto de mídia e entretenimento nas redes sociais. O relatório “O que atrai os brasileiros?” aponta que conteúdos relacionados à categoria foram responsáveis por 43% do total de engajamento no Brasil em 2021.

Leia também: 3 vezes que o conteúdo da televisão viralizou na internet

Consumo de vídeo on-line alcança todas as idades no Brasil. (Foto via Freepik)

Quanto mais jovem, maior o tempo de consumo de entretenimento on-line

O público digital no Brasil está distribuído entre as mais variadas faixas etárias e o conteúdo de entretenimento alcança todas elas. Contudo, o comportamento dos internautas varia conforme a idade.

Horas de entretenimento digital por mês:

  • 18 a 24 anos: 27 horas
  • 25 a 34 anos: 21 horas
  • 35 a 44 anos: 17 horas
  • 45 anos ou mais: 15 horas

Ou seja, o grupo entre 18 e 24 horas passa quase o dobro do tempo consumindo conteúdo de entretenimento na internet em comparação com os usuários a partir de 45 anos.

Outro dado interessante é que, dos cinco sites com maior tempo mensal de consumo, quatro são serviços focados em vídeo. Entre eles está o Globoplay, provando mais uma vez que o vídeo é a mídia mais consumida da internet e fora dela.

Não à toa, o vídeo concentrou 63% de todo o investimento publicitário no Brasil, em 2021, de acordo com a Kantar IBOPE Media.

Leia também: NSC TV amplia alcance com sinal ao vivo no Globoplay

O vídeo on-line na vida dos brasileiros

Cruzando os resultados do relatório da Comscore com o estudo “Inside Video 2022”, da Kantar IBOPE Media, ainda podemos aprofundar o panorama do consumo de vídeo on-line no Brasil.

Segundo o Inside Video, o formato alcança 32% dos brasileiros em um dia comum e, ao longo de um mês, 61% da população do País.

Entretanto, como apontou a Comscore, o consumo é mais forte entre os jovens. O consumidor de vídeo on-line tem, em sua maioria, até 34 anos. Ainda assim, esse é um hábito que faz parte de todas as gerações.

Perfil do consumidor de vídeo na internet:

  • 4 a 11 anos: 14%
  • 12 a 17 anos: 10%
  • 18 a 24 anos: 10%
  • 25 a 34 anos: 18%
  • 35 a 49 anos: 26%
  • 50 a 59 anos: 11%
  • 60 anos ou mais: 11%

Para esse público, o dispositivo favorito para consumir vídeo on-line é o televisor. Mais da metade (54%) dos espectadores preferem assistir a conteúdos em uma tela maior. Enquanto isso, o smartphone vem bastante atrás na preferência dos brasileiros, com 37%.

Saiba mais sobre o assunto com o e-book Tendências Sobre consumo de Vídeo. Nele você descobrirá reflexões importantes para basear sua estratégia de mídia e impactar o público.


Negócios SC


Já ouviu o podcast Negócios SC? Conteúdo direto ao ponto com convidados super especiais Ouça aqui
Sucesso! Sua mensagem foi enviada.
Ops! Nós tivemos um problema mensagem não enviada.
Negócios SC NSC Comunicação linkedin facebook youtube infograico