logo Negócios SC
Simule sua Campanha
Marketing

Como implementar o marketing de afiliados no seu negócio

10/01/2019

Todo comércio digital, principalmente empresas de pequeno a médio porte, enfrenta o desafio de ampliar seu alcance entre o público-alvo para gerar mais fluxo de visitas ao site ou e-commerce e aumentar as vendas, mas sem estourar o orçamento com isso.

Quando falamos então em estratégias de comunicação, cada uma demonstra vantagens e desvantagens, transformando o plano de marketing em uma equação delicada. O inbound marketing gera resultados no longo prazo, embora seus efeitos não sejam imediatos. O marketing de influência é outro exemplo: pode ser positivo para a marca, mas também pode sair muito caro.

Mas e se existisse uma estratégia digital que potencializasse as vantagens e reduzisse as desvantagens, isso não seria ótimo? Ela existe: o marketing de afiliados é a peça que está faltando em seu plano de marketing.

O que é marketing de afiliados e como funciona

É um modelo de relação comercial em que afiliados estimulam a compra de produtos ou serviços de empresas parceiras e recebem comissão apenas com base em seu desempenho. Eles não são empregados das empresas nem vendedores — o trabalho deles está muito mais próximo dos influenciadores e dos produtores especializados de conteúdo.

A prática da comissão por vendas é antiga, mas com o surgimento da internet ela se consolidou de uma forma própria nesse meio. Empresas como a Amazon popularizaram nos anos 90 os programas de marketing de afiliados como os conhecemos hoje, que consiste em quatro partes:

  • Vendedor — é a marca. É responsável pela venda final de produtos e serviços em um ambiente de e-commerce. Também cuida da estratégia de marketing e define os requisitos para alguém se tornar um afiliado.
  • Rede — é uma plataforma que atua como intermediária entre o vendedor e o afiliado, servindo de base para ofertas e até controlando pagamentos. No Brasil, existem a Associados Amazon, Hotmart, Lomadee e muitas outras.
  • Afiliado — é quem promove o produto ou serviço por meio de sites, blogs, redes sociais, e-mail marketing, anúncios em AdSense etc., levando o consumidor até o vendedor e recebendo comissão de acordo com o tipo de programa (mais sobre isso adiante).
  • Consumidor — é o público final. São as ações dele que sustentam o marketing de afiliados, pois sem vendas não há retorno para a empresa nem para os divulgadores.

Todo o processo é monitorado por links exclusivos. Cada afiliado tem um link único direcionado para o vendedor, que pode então saber a origem das ações executadas pelo consumidor em suas páginas.

Agora que você já sabe o que é e como funciona, que tal iniciar seu próprio programa de afiliados?

Dicas de como implementar marketing de afiliados

Como vendedor, seu negócio tem a escolha entre estar em uma rede de afiliação ou implementar um programa independente. A seguir mostraremos os passos básicos para montar o seu.

  1. Defina seu mercado e público-alvo

Conhecer sua buyer persona é tão importante aqui quanto em qualquer outra estratégia de marketing. Para maximizar seu resultado, a ação precisa ser certeira. Portanto, saiba que tipo de pessoas sua empresa precisa alcançar por meio dos afiliados e em que mercado. Quanto mais específico for o nicho do programa, mais eficaz será a ação.

  1. Descubra seus parceiros

Cada influenciador e produtor de conteúdo tem um público próprio, para o qual construiu autoridade para falar sobre determinados assuntos. Conhecendo sua buyer persona, procure afiliados que já tenham uma comunicação estabelecida com ela dentro desse escopo. Muitas vezes, são pessoas que sua equipe de marketing já acompanha e que ranqueiam nas mesmas palavras-chave que sua empresa.

  1. Crie ofertas interessantes

O programa de afiliação é bom quando todos ganham: vendedor, afiliado e comprador. Sejam ofertas de produtos físicos, sejam de produtos digitais, o comprador deve sentir que está ganhando algo por seguir a indicação do afiliado, assim como este precisa de uma comissão que o motive a divulgar os produtos da sua empresa, em vez de uma concorrente.

  1. Cuide das parcerias

A afiliação é uma relação de negócios. Quanto mais você apoiar seus afiliados, mais resultados poderá esperar deles. Forneça materiais promocionais de apoio, distribua peças de divulgação para o público final e dedique tempo a orientações. Afinal, quem entende melhor da sua comunicação e que mais sabe vender seus produtos é sua empresa.

  1. Continue procurando novos afiliados

Como o vendedor não paga nada antecipadamente, não há um limite de afiliados que se pode ter. Continuar procurando por novas parcerias estratégicas é uma forma de ampliar seu alcance e, por consequência, suas vendas. Isso também protegerá seu negócio de eventuais saídas de parceiros.

Leia também: Como a segmentação de mercado traz efetividade para o marketing?

Vantagens e desvantagens do programa de afiliação

Você já deve ter percebido diversas vantagens do marketing de afiliados. Essa é uma ótima estratégia para ampliar o alcance da sua divulgação entre o público-alvo sem necessidade de qualquer investimento inicial nessa relação.

Ainda assim, é uma ação que demanda esforço constante. Sua empresa deve ter um comércio eletrônico eficiente para não gerar atritos com os afiliados, deve apoiar seus parceiros nas campanhas e deve estar bem familiarizada com ferramentas de monitoramento de tráfego web, como o Google Analytics, para o cálculo da comissão de acordo com o programa escolhido.

O fato de os afiliados não terem vínculo fixo com seu negócio também pode ser vista como uma desvantagem, pois não há obrigação expressa da parte deles em vender seus produtos ou serviços, ou podem desistir do programa a qualquer momento, caso não haja um contrato de duração da parceria.

Além disso, corre-se o risco de diluir as vendas diretas quando se compete com os próprios afiliados, diminuindo a margem de lucro. Por exemplo, uma empresa que venda cursos on-line provavelmente terá seus afiliados criando conteúdos para as mesmas palavras-chave de suas landing pages, portanto é necessário orientá-los a evitar esse tipo de situação.

Leia também: Como vender pela internet: dicas essenciais

Modelo de comissão

Existem diversos modelos de comissão para escolher o que melhor se adeque ao seu negócio. Cada modelo corresponde a um objetivo esperado do comprador, que pode ser monitorado em ferramentas como o Google Analytics e o Google AdSense. Conheça os principais tipos de comissão:

  • CPC (Custo por Clique) — o afiliado ganha por cada clique em links, banners e outros tipos de anúncio em páginas próprias dele, posts de redes sociais ou campanhas de buscas on-line que ele tenha criado;
  • CPA (Custo por Ação) — neste caso, não basta o comprador clicar, ele precisa executar alguma ação específica na página de destino do vendedor;
  • CPL (Custo por Lead) — mais utilizado em B2B, a comissão é baseada na conquista de leads pelo vendedor, como resultado de um cadastro;
  • CPM (Custo por Mil Impressões) — o anunciante paga um valor a cada mil visualizações de um anúncio, independentemente de cliques;
  • CPV (Custo por Venda) — a comissão só é gerada depois de uma venda ser concretizada. Graças ao uso de cookies nos navegadores, a compra pode acontecer até semanas após o uso do link original e o monitoramento ainda identificará o afiliado responsável pela origem do tráfego.

Ao escolher um modelo de comissão, pense em qual se aproxima mais do objetivo da sua campanha. É gerar conhecimento da marca? Ter mais acessos? Mais formulários preenchidos? Mais vendas?

Conclusão

O marketing de afiliados é uma estratégia digital com grandes vantagens para sua empresa, especialmente pelo baixo custo de implantação e por contar com divulgadores do seu produto ou serviço que têm influência direta no seu público-alvo. Conheça agora mais soluções para seu plano de marketing com o simulador de campanhas da NSC.

 


Content Creator

Estúdio NSC Branded Content

Tenha uma marca inesquecível! Comece agora
Sucesso! Sua mensagem foi enviada.
Ops! Nós tivemos um problema mensagem não enviada.
Negócios SC NSC Comunicação linkedin facebook infograico